quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Luc Besson faz uma viagem frenética e alucinante em "Lucy"

Filme conta com Scarlett Johansson no papel principal (Fotos Universal Pictures/Divulgação)

Maristela Bretas

Scarlett Johansson é Lucy, uma jovem turista que se envolve com o cara errado durante uma viagem e acaba caindo nas mãos de traficantes chineses. O que ela não esperava era se tornar uma vítima da droga que deveria transportar para a Europa. Os pacotes estouram em seu estômago e ela começa a sofrer os efeitos arrasadores do entorpecente.



Se uma pessoa normal usa apenas 10% do cérebro, com o comprimido azul Lucy poderá atingir 100%. Ela passa a ter poderes que lhe permitem adquirir conhecimento instantaneamente, usar telecinesia, não sentir dor, ouvir tudo o que se passa ao redor e controlar a mente das pessoas.

O novo filme de Luc Besson mistura ficção científica, muita ação e muito delírio do diretor, responsável também pelo roteiro e produção.

Usando dezenas de imagens que parecem tiradas de algum documentário da NetGeo, vai contando em ritmo frenético a trajetória de Lucy e sua corrida contra o tempo para evitar que o restante da droga seja distribuída pelos traficantes.

Ao mesmo tempo, ela precisa se encontrar com um grupo de cientistas, coordenados pelo professor Norman, papel de Morgan Freeman, para poder contar sua experiência antes que atinja a capacidade total de seu cérebro.

O filme é bom, mas literalmente "uma viagem". Johansson está bem no papel, principalmente nas cenas em que se transforma em uma quase "Kill Bill", com direito a pistola automática, muita porrada e perseguições de carro pelas ruas de Paris, ao lado do investigador Pierre Del Rio, interpretado por Amr Waked.

Ficha técnica:
Direção: Luc Besson
Produção: TF1 Films Production
Distribuição: Universal Pictures
Duração: 1h29
Gênero: Ficção
País: França
Classificação: 16 anos
Nota: 4,0 (0 a 5)

Tags: Lucy; França; ficção; Universal Pictures; Luc Besson, Scarlett Johansson; Morgan Freeman; Cinema no Escurinho