sexta-feira, 25 de setembro de 2015

"Evereste" é muito bom, mas provoca incômoda sensação de falta de ar

Josh Brolin, Jake Gyllenhall e Jason Clarke são as estrelas de esta adaptação de fatos reais (Fotos: Universal Pictures/Divulgação)

Maristela Bretas


Não é de hoje que o pico Evereste é um dos maiores desafios de montanhistas do mundo inteiro, que se dirigem para o local na tentativa de vencer seus perigosos desafios e chegar ao topo. Mas o ano de 1996 ficou tragicamente marcado na história da famosa montanha gelada mais alta do mundo, localizada no Nepal, na Ásia.

Essa história virou um livro, que causou polêmica quando foi lançado e agora transformada em um longa-metragem. "Evereste", dirigido por Baltasar Komákur, mostra de forma clara e tensa, mas sem pieguismo, até que ponto chega a obstinação do ser humano ao se arriscar no sonho de atingir o chamado "topo do mundo".

Cada um dos integrantes do grupo que vai escalar o pico tem o seu motivo e poucos desistem de ir até o final. Um destes grupos é guiado pelo neozelandês Rob Hall (grande interpretação de Jason Clarke), um experiente montanhista e dono da empresa de expedição Adventure Consultants, que leva amadores para esta perigosa aventura ao preço de US$ 65 mil.

Ele é casado com Jan Hall, papel entregue a Keira Knightley, que faz um papel fraco, somente um rosto bonito, sem a dramaticidade necessária. O casal espera a chegada do primeiro filho. Profundo conhecedor das armadilhas do Evereste, ele faz da segurança dos integrantes de sua expedição, alguns velhos conhecidos, a prioridade da jornada. De novato ele recebe o médico Beck Weathers (Josh Brolin, muito bem em seu papel), que quer fazer a escalada contrariando a esposa e os filhos. 

Comandando outro grupo e amigo de Rob está Scoth Fischer, vivido por Jake Gyllenhall, que também pode ser conferido no cinema em "Nocaute", filme em que ele interpreta um boxeador rico que perde tudo. Scoth é um cara pouco preocupado com a própria saúde, mas assim como Rob, sabe os riscos que o Evereste prepara para quem resolve enfrentá-lo.

"Evereste" é um ótimo filme e por ser a adaptação de uma história verídica que chamou a atenção do noticiário no mundo inteiro à época, consegue dar a medida quase certa da tensão e do sofrimento vivido pelos escaladores. Chega a provocar uma sensação de falta de ar em alguns momentos, como a dos personagens quando ficam sem oxigênio no alto da montanha.

Grupo original da expedição de 1996 (Reprodução)
O drama é ambientado no ano de 1996 e acompanha a história de dois grupos de alpinistas liderados por Rob (Clarke) e Scott (Gyllenhall), que unem suas expedições para tentar escapar com vida da maior montanha da Terra durante uma forte nevasca. Aos poucos o Evereste vai mostrando aos grupos todo o seu poder de destruição e morte. 

O elenco conta ainda com John Hawkes, Robin Wright, Elizabeth Debicki, Sam Worthington e Emily Watson. Esta por sinal faz a melhor interpretação do elenco feminino, com o papel de Helen Wilton, parceira de Rob na empresa. O ator Michael Kelly ficou com o papel do escritor e montanhista Jon Krakauer, que subiu a montanha no grupo de Rob para fazer uma matéria sobre os escaladores que seria publicada na Revista Outside. A trágica experiência ele transformou no livro "No Ar Rarefeito", que originou o filme.





"Evereste" pode ser conferido em 13 salas dos shoppings Cidade, Del Rey, Boulevard, Ponteio Lar Shopping, Estação BH, Diamond Mall, BH Shopping, Pampulha Mall, Pátio Savassi e Metropolitan Shopping Betim.

Ficha técnica:
Direção: Baltasar Kormákur
Distribuição: Universal Pictures
Duração: 2h30
Gênero: Drama
País: EUA / Reino Unido / Islândia
Classificação: 12 anos
Nota: 4 (0 a 5)

Tags: #Evereste, #JasonClarke, #JoshBrolin, #JakeGyllenhall, #KeiraKnightly, #BaltasarKormákur, #drama, #UniversalPictures, #CinemanoEscurinho