quinta-feira, 7 de julho de 2016

Oi, eu sou a Dory, e agora quero achar minha família

Dory está de volta, com novos amigos e determinada a achar sua família e redescobrir seu passado (Fotos: Disney/Divulgação)

Maristela Bretas


Oi, eu sou a Dory. Eu sofro de perda de memória recente. Tudo bem Dory, nós não esquecemos de você nesses 13 anos desde "Procurando Nemo". E fomos fiéis, esperamos todo este tempo para ver um filme em que você fosse a estrela principal. Finalmente ele chegou e é ótimo. "Procurando Dory" é a homenagem merecida à "peixinha" azul mais simpática e esquecida do cinema.

Os velhos amigos Marlin e Nemo também estão de volta e são sua segunda família. Por falar nisso, onde está a família de Dory? Ela não nasceu sozinha, veio de algum lugar e deve ter alguém procurando por ela - pais, amigos. Um passado que nunca foi explicado e que o diretor e também criador dos personagens Andrew Stanton resolveu contar neste filme.

Apesar de esquecida, ela começa a ter flashes de memória com sua família e momentos de sua vida infância e resolve cruzar o oceano em busca de seu passado. Mesmo alegre, brincalhona e muita atirada, Dory sabe que não pode fazer essa aventura sozinha. E recruta seus fiéis amigos Nemo e Marlin para ajudá-la a chegar ao Instituto da Vida Marinha (IVM), na Califórnia, um centro de reabilitação e aquário onde ela espera encontrar sua família.

Mas como sempre, Dory não passa por um lugar sem fazer novos amigos e até reencontrar antigos. Só ela mesma para conhecer e gostar de Hank, um polvo rabugento de sete tentáculos (dublado em português por Antônio Tabet) que vive dando perdido nos funcionários do IVM; tem também o Bailey, uma baleia branca beluga que está convencida de que perdeu sua habilidade de ecolocalização. E dois leões marinhos cheios de marra e muito sacanas, além de um pássaro horroroso de olhos arregalados que ainda não consegui saber a qual espécie pertence. E claro, Destiny, um tubarão baleia míope, antiga companheira de longas conversas em baleiês.

É nesse ambiente, onde cada um tem uma deficiência, que se forma outra grande família, com todos tentando superar seus entraves para ajudar ao outro. Sem que perceba, o "jeito Dory de ser" é sempre a melhor maneira de conseguir fazer o que mais desejam.

Em "Procurando Dory", nossa amiguinha continua sem medo de se arriscar, ao contrário de Marlin. Mas bem lá no fundo ela teme esquecer de novo de uma hora para outra e perder o equilíbrio que conquistou desde que se separou de sua família. Dory sabe, no entanto que, apesar de sofrer de perda de memória recente, a emocional é muito boa. E é isso que a faz ir em busca de seus pais Charlie e Jenny, que nunca foram esquecidos.

Entre muitas risadas e momentos de solidão e sentimento de perda, "Procurando Dory" é uma doce e sincera animação que trata de superação, amizade sem preconceito, lealdade e, principalmente amor à família, assim como "Procurando Nemo". Faz rir, chorar, refletir e voltar a rir com as trapalhadas e artimanhas dos personagens para tentarem driblar os funcionários do IVM.

Imperdível, emocionante e engraçado. Vai criar novos fãs e matar a saudade daqueles que conheceram e curtiram Dory, Nemo e Marlin em 2003. A animação está nas versões 2D e 3D, dubladas e legendadas, e pode ser conferida em 40 salas de 19 shoppings de BH, Betim e Contagem.

Curta-metragem Piper

Antes da exibição de "Procurando Dory" o público confere o curta-metragem de animação "Piper", que conta a história de um jovem pássaro faminto que precisa perder o medo de se aventurar para conseguir o alimento sem a ajuda da mãe. Lindo, bem produzido e com belas imagens que encantam.



Ficha Técnica
Direção: Andrew Stanton (também roteirista, criador da ideia original e dos personagens originais) // Angus MacLane
Produção: Pixar Animations Studios
Distribuição: Disney/ Buena Vista
Duração: 1h42
Gêneros: Animação / Comédia
País: EUA
Classificação: Livre
Nota: 5 (0 a 5)

Tags: #procurandodory, #dory, #nemo, #marlin, #Pixar, #Disney, #animação, #AndrewStanton, #comédia, #amizade, #família, #lealdade, #baleia, #Hank, #Destiny, #polvo, #perdadememoriaacurtoprazo,  #tubaraobaleia, #CinemanoEscurinho