quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Nem a fama da dupla principal salva a comédia "Um Espião e Meio"

Dwayne Johnson aposta em comédia de ação ao lado de Kevin Hart (Fotos Universal Pictures/Divulgação)


Maristela Bretas

Nada de novo, piadas bobas e preconceituosas sobre negros contadas por negros em um enredo fraco para aproveitar a fama de dois atores muito bem pagos de Hollywood - Kevin Hart e Dwayne "The Rock" Johnson. Assim se resume a comédia de ação "Um Espião e Meio" ("Central Intelligence"). Dá para rir, tem mais ação que comédia e o tom estridente da voz de Hart (uma de suas características) chega a irritar. Acho que ele pensa que está fazendo "Todo Mundo em Pânico 4", de 2006.

Johnson, que já havia mostrado sua veia cômica em "O Fada dos Dente" (2010), é mais engraçado como o estudante gordo que gostava de dançar no chuveiro da escola mas sofria bullying dos colegas, do que como o fortão agente da CIA foragido. Como o papel de policial é uma constante na sua carreira e já lhe garantiu gordas bilheterias, nada como tentar de novo, agora juntando os dois gêneros. Mas ficou bem forçado, chega a ser bobo e provoca poucas risadas. Melhor seria se tivesse ficado apenas como espião.

A história acompanha o nerd Bob Stone que sofreu muito bullying no passado, mas que ao crescer se tornou um agente letal da CIA (Johnson). Dizendo estar em um caso ultrassecreto, ele recruta a ajuda do antigo “bam bam bam da sala”, Calvin Joyner (Hart), agora um contador sem qualquer sinal de glória. 

Quando o desiludido contador percebe no que está se metendo, já é tarde demais para sair e acaba arrastado pelo alucinado novo amigo para um mundo de perigo, tiroteios, traição e espionagem. A dupla ainda precisa fugir de Pamela Harris (Amy Ryan), a chefe de Stone que o acusa de traição.

As cenas de ação são boas, principalmente a fuga do prédio onde Hart trabalha, mas o enredo é bem fraco. O filme também é recheado de mensagens politicamente corretas, criticando o bullying e o preconceito racial nas escolas e mostrando que a amizade supera tudo. Pena que os temas foram usados na dosagem errada - não faz pensar nem provocar gargalhadas. 

"Um Espião e Meio" vale como diversão para os fãs de Johnson, mas não vá esperando muita coisa. A produção pode ser conferida em formato 2D, nas versões dublada e legendada, em cinemas de BH, Betim e Contagem.



Ficha técnica:
Direção: Rawson Marshall Thurber
Produção: Warner Bros Pictures / New Line Cinema / Universal Pictures
Distribuição: Universal Pictures
Duração: 1h47
Gêneros: Ação / Comédia
País: EUA
Classificação: 14 anos
Nota: 2,5  (0 a 5)

Tags: #umespiaoemeio, #centralintelligence, #DwayneJohnson, #KevinHart, #comédia, #ação, #RawsonMarshallThunder, #UniversalPictures, #WarnerBrosPictures, #NewLineCinema, #CinemanoEscurinho