quinta-feira, 10 de novembro de 2016

"Horizonte Profundo - Desastre no Golfo" é uma história real de impunidade

Produção é tensa, com bons efeitos visuais e grande elenco (Fotos: Paris Filmes/Divulgação)

Maristela Bretas

Baseado em fatos reais, "Horizonte Profundo - Desastre no Golfo" ("Deepwater Horizon") reproduz um dos maiores acidentes provocados por falha humana. No dia 20 de abril de 2010 a base de petróleo Deepwater Horizon, no Golfo do México, pertencente à empresa British Petroleum, explodiu matando 11 pessoas e deixando outras 16 feridas. 

O objetivo do diretor Peter Berg era fazer um filme em homenagem aos trabalhadores da plataforma que morreram e também aos demais que conseguiram salvar vários colegas à bordo.

A produção foi bem feita, com bons efeitos visuais e sonoros, momentos de tensão e ótimas cenas de ação. A trama explora o drama de quem estava na plataforma quando tudo começou e quem foram os culpados pela tragédia. O filme poderia ter mostrando mais o desastre ambiental que a explosão provocou e que é considerado um dos maiores já ocorridos.

"Horizonte Profundo - Desastre no Golfo" reúne bons nomes no elenco  comandado por Mark Wahlberg (também produtor executivo): Kurt Russell, Kate Hudson, John Malkovich e Dylan O'Brien. Wahlberg sempre fazendo o mocinho bombadão dá conta do recado. Destaque para os embates entre Malkovich e Russell. Kate Hudson ficou desperdiçada como Felicita Williams, esposa de Mike Williams (Wahlberg), que acompanha todo o drama de casa.

Funcionário da empresa que dá manutenção nos equipamentos da Deepwater Horizon, Mike Williams embarca para a plataforma no qual iria ficar 21 dias. No local, as condições ruins de trabalho e os cortes em setores essenciais que podem comprometer a segurança chamam a atenção dele e do chefe  Mr. Jimmy (Russell). Ignorando os alertas de perigo, Vidrine (Malkovich), um dos dirigentes da BP, acaba tomando a decisão que vai mudar a vida de todos a bordo.

Outro lado dramático do longa-metragem mostra o afastamento dos funcionários da plataforma de suas famílias provocado por longos dias no mar, aliado às condições ruins de trabalho, o risco de operarem com redução na segurança e equipamentos sem manutenção e chefes despreparados.

Ao final, o filme pode deixar um sentimento de revolta ao mostrar como ficaram vítimas e culpados. Não estou dando spoiler, a história é recente e ganhou as manchetes do mundo inteiro. "Horizonte Profundo - Desastre no Golfo" não decepciona, vale o ingresso.



Ficha Técnica
Direção: Peter Berg
Produção: Lionsgate / Summit Entertainment / Participant Media / Image Nation Abu Dhabi
Distribuição: Paris Flmes
Duração: 1h47
Gêneros: Ação / Drama
País: EUA
Classificação: 14 anos
Nota: 3 (0 a 5)

Tags: #horizonteprofundodesastrenogolfo, #MarkWahlberg, #KurtRussell, #JohnMalkovich, #KateHudson, #PeterBerg, #ação, #drama, #explosão, #deepwater, #platarfoma, #petróleo, #BritishPetroleum, #desastreambiental, #GolfodoMexico, #ParisFilmes, #CinemanoEscurinho