segunda-feira, 7 de abril de 2014

Uma homenagem ao grande José Wilker


José Wilker deixa um legado de mais de 40 filmes e dezenas de novelas (Foto: Divulgação)

Maristela Bretas

A teledramaturgia brasileira perdeu, neste fim de semana, um de seus maiores representantes. Aos 67 anos, morreu José Wilker. Para alguns, o "Roque Santeiro". Para outros, "Giovanni Improtta", ou o safado sedutor "Vadinho".

Anos se passaram desde as estripulias de um ator mambembe em "Bye Bye Brasil", ao marido vivo de uma viúva fogosa em "Roque Santeiro". Até chegar ao bicheiro que nunca se cansava de amar sua batalhadora "Senhora do Destino". 


Sinhozinho Malta, Viúva Porcina e Roque Santeiro (Foto: Divulgação)

O coração, sempre pulsando forte em cada personagem, pregou uma peça no sábado nesse cearense "arretado", que adotou o Rio de Janeiro como seu lar desde a juventude. Fica aqui um grande vazio, mas com certeza, Wilker deixou sua marca, no cinema, nas novelas e no teatro.


Cena do filme "Giovanni Improtta", de 2013 (Foto: Sony Pictures/Divulgação)

Bye, bye querido Lorde Cigano, Mundinho Falcão, Vadinho, Antônio Conselheiro, Zeca Diabo, Coronel Jesuíno, Giovanni Improtta. Como diria o grande prefeito Odorico Paraguaçu, segue seu caminho, "de alma lavada e enxaguada". Você foi "felomenal"!

Tags: José Wilker, Vadinho, Giovanni Improtta, Lorde Cigano, Zeca Diabo, teatro, novelas, Cinema no Escurinho