sábado, 18 de junho de 2016

"Mais forte que o mundo" e a diferença entre brigar e lutar

Filme narra a dura trajetória de um grande lutador na conquista do titulo de melhor do mundo (Fotos: Paris Filmes/Divulgação)

Maristela Bretas


"Mais Forte que o Mundo - A História de José Aldo" é uma homenagem ao grande campeão brasileiro de UFC, dono do cinturão da categoria peso pena por dez anos, cuja trajetória foi marcada por violência e duras conquistas. O diretor Afonso Poyart soube captar bem esta história e passá-la ao público, mostrando os altos e baixos da carreira de José Aldo da Silva Oliveira Júnior, mais conhecido como José Aldo, primeiro a conquistar este título para o Brasil e consagrado com o prêmio de Lutador do Ano de 2010.

Na cinebiografia, José Aldo é interpretado pelo ator José Loreto, que além de apresentar um porte físico muito bem trabalhado, entrou de cabeça no personagem, passando boa credibilidade, principalmente nas cenas de luta. O papel da namorada ficou para Cléo Pires, que vem melhorando a cada filme suas interpretações e soube mostrar a importância e a força de Vivianne, mulher de Aldo, na vida pessoal dele e em sua carreira.

O segundo escalão, que na verdade dá a sustentação à primeira metade do filme contou com o talento de dois tarimbados atores, que deram a carga emocional necessária para o passado do lutador precisava - Jackson Antunes (excelente no papel) e Claudia Ohana, interpretando os pais de Aldo. Antunes é Seu José, um alcoólatra truculento, que bate na mulher Rocilene (Ohana) e quando não está cambaleando pelas ruas, está despejando sua agressividade na família e principalmente no filho. Ao mesmo tempo, se mostra seu maior incentivador. Já a mãe é uma mulher trabalhadora, sofrida, vítima de violência doméstica, e que atura tudo para manter a família unida.

José Aldo e as duas irmãs assistem a tudo e sofrem com a mãe. Para descarregar sua raiva ele se torna um bom lutador de jiu-jítsu, mas sempre se mete em confusões pelas ruas de Manaus, sua cidade natal. Cansado das agressões, brigas e prisões, ele decide deixar o Amazonas e tentar a vida como lutador no Rio de Janeiro, onde percebe que o sucesso fácil é uma grande ilusão. Trabalhando numa academia ele conhece Vivi, aquela que se tornará sua esposa um dia. E Dedé Pederneiras (Milhem Cortaz), o treinador que o levará à vitória nos ringues e ensinará a diferença entre brigar e lutar.

Mas José Aldo nunca apagou o passado de agressões e violência. E são estes sentimentos mal resolvidos que o transformam no toro furioso que massacrou durante anos seus opositores no octógono. Claro que numa biografia de um lutador tinha de haver luta. E apesar de não ser o foco principal, as cenas dos treinos e das disputas foram muito bem feitas, usando técnicas como slow-motion, demonstrando grande preocupação do diretor com o lado estético da produção.

"Mais Forte que o Mundo - A História de José Aldo" é um filme que passa a primeira metade explicando o passado do lutador e de onde vem toda a sua fúria na hora de lutar. A partir do momento em que ele chega ao Rio, a narrativa é explora o crescimento desse amazonense de apenas 1,71m nos ringues pelo mundo, até a conquista do cinturão na categoria peso pena.

No elenco estão ainda Rafinha Bastos, Rômulo Arantes Neto, Paloma Bernardi e vários representantes do mundo das lutas, uma vez que o filme conta com o apoio dos organizadores do UFC. Ótima produção, que vale a pena ser vista mesmo por aqueles que, como eu, não gostam da violência das lutas. Ele pode ser conferido em 15 salas de shoppings de Belo Horizonte e Contagem.



Ficha Técnica:
Diretor, roteirista e produtor: Afonso Poyart
Produção: Black Maria / Globo Filmes / Downtown Filmes / Paris Produções
Distribuição: Paris Filmes
Duração: 1h55
País: Brasil
Gêneros: Drama / Biografia / Esporte
Classificação: 14 anos
Nota: 4 (0 a 5)

Tags: #maisfortequeomundoahistóriadejosealdo, #JoséAldo, #lutador, #UFC, #MMA, #pesopena, #JoseLoreto, #CleoPires, #JacksonAntunes, #ClaudiaOhana, #RafinhaBastos, #AfonsoPoyart, #MilhemCortaz, #drama, #biografia, #esporte, #ParisFilmes, #DowntowFilmes, #BlackMaria, #CinemanoEscurinho, #PortalUAI