quarta-feira, 27 de agosto de 2014

"Faroeste Caboclo" conquista o troféu Grande Otelo de Melhor Longa-Metragem de Ficção

                          13ª Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

"Faroeste Caboclo" abocanhou sete troféus Grande Otelo, inclusive de Melhor Ator (Foto: Divulgação)

Marcado por muita emoção e grandes nomes do cinema nacional, a 13ª edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, realizada no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, contou com a estreia da categoria "Melhor Comédia". O vencedor foi "Cine Holliúdy", de Halder Gomes. Mas a grande estrela da noite, confirmando o favoritismo, foi o filme "Faroeste Caboclo", do diretor René Sampaio, que conquistou sete prêmios Grande Otelo, incluindo as categorias "Melhor Longa-metragem de Ficção", "Melhor Ator" e "Melhor Roteiro Adaptado". O filme chega às locadoras no dia 18 de setembro de 2014.



No total, foram 26 troféus distribuídos entre atrizes, atores, diretores e outros profissionais da indústria do cinema nacional, escolhidos pelos membros da Academia Brasileira de Cinema e pelo internauta, além da categoria de melhor longa-metragem estrangeiro, vencido por "Django Livre". 

Nelson Pereira dos Santos, Caca Diegues e Luiz Carlos Barreto subiram juntos ao palco para entregar os principais prêmios da noite (melhor ator, melhor atriz e melhor diretor). Eles também e anunciaram que o presidente da Academia Brasileira de Cinema, Roberto Farias será o grande homenageado do Grande Prêmio de Cinema Brasileiro de 2015. 

O grande homenageado da noite foi Domingos Oliveira. O diretor viu seu longa-metragem "Todas as Mulheres do Mundo" ganhar vida através dos atores Caio Blat e Maria Ribeiro, apresentadores do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2014.

Conheça os vencedores de 2014:

MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO: "Faroeste Caboclo", de René Sampaio

MELHOR LONGA-METRAGEM DE DOCUMENTÁRIO: "Elena",  de Petra Costa

MELHOR LONGA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO: "Uma história de amor e fúria", de Luiz Bolognesi

MELHOR LONGA-METRAGEM INFANTIL: "Meu Pé de Laranja Lima", de Marcos Bernstein

MELHOR DIREÇÃO: Bruno Barreto, por "Flores Raras"

MELHOR ATRIZ: Glória Pires, por "Flores Raras"

MELHOR ATOR: Fabrício Boliveira, por "Faroeste Caboclo"

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Bianca Comparato, por "Somos Tão Jovens"

MELHOR ATOR COADJUVANTE: Wagner Moura, por "Serra Pelada"

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA: Gustavo Hadba, por "Faroeste Caboclo"

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE: José Joaquim Salles, por "Flores Raras"

MELHOR FIGURINO: Marcelo Pires, por "Flores Raras"

MELHOR MAQUIAGEM: Siva Rama Terra, por "Serra Pelada"

MELHOR EFEITO VISUAL: Daniel Greco e Bruno Monteiro, por "Uma história de amor e fúria", e Robson Sartorni, por "Serra Pelada"

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL: Kléber Mendonça Filho, por "O som ao redor"

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO: Marcos Bernstein e Victor Atherino - adaptado da música " Faroeste Caboclo" de Renato Russo, Legião Urbana - por "Faroeste Caboclo"

MELHOR MONTAGEM FICÇÃO: Marcio Hashimoto, por "Faroeste Caboclo"

MELHOR MONTAGEM DOCUMENTÁRIO: Marília Moraes e Tina Braz, por "Elena"

MELHOR SOM: Leandro Lima, Mirian Biderman, ABC, Ricardo Chui e Paulo Gama, por "Faroeste Caboclo"

MELHOR TRILHA SONORA: Paulo Jobim, por "A Luz do Tom"

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL: Phillipe Seabra (foto ao lado), por "Faroeste Caboclo"

MELHOR CURTA FICÇÃO: "Flerte", de Hsu Chien

MELHOR CURTA DOCUMENTÁRIO: "A Guerra dos Gibis", de Thiago Brandimarte Mendonça e Rafael Terpins

MELHOR CURTA ANIMAÇÃO: "O Menino que Sabia Voar", de Douglas Alves Ferreira

MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO: "Django Livre", de Quentin Tarantino