quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

"Invencível" é a grande aposta de Angelina Jolie novamente como diretora

Filme é baseado em fatos reais sobre a vida do atleta olímpico Louis Zamperini (Fotos; Universal Pictures/Divulgação)

Maristela Bretas


Além de bela e boa atriz, Angelina Jolie provou que também tem competência nos papeis de diretora e produtora. "Invencível" ("Unbroken") é um filme sensível (mesmo abordando um tema como a guerra), baseado em fatos sobre a vida do atleta olímpico Louis "Louie" Zamperini. O filme entra em cartaz nesta quinta-feira.

No drama, a cineasta explora os sentimentos em constantes closes e expressões faciais do elenco e consegue transmitir ao público a dureza e o sofrimento dos personagens durante a guerra. Bem aproveitada a estratégia, que lembra em alguns momentos um grande sucesso - "O Império do Sol" (1987), de Steven Spielberg, que lançou ao estrelato o então menino Christian Bale.

Jack O'Connell (de "300 - A Ascensão do Império"), escolhido para viver Louis Zamperini, segura a peteca e conduz muito bem o seu personagem. Outros dois que dão um suporte bom ao elenco são o irlandês Domhnall Gleeson ("Questão de Tempo") e o norte-americano Garrett Hedlund ("Tron - O Legado").


"Invencível" conta a história real de Louis Zamperini, um menino que estava sempre envolvido em confusões e brigas e que, incentivado pelo irmão, se torna um corredor e campeão olímpico de atletismo. Convocado para a guerra tem seu avião abatido e se torna prisioneiro de guerra por dois anos no Japão.

Apesar de ser uma história real que explora bem a superação de um homem, o roteiro peca em alguns pontos, como as longas cenas longas no mar, o uso excessivo de clichês chatos e a escolha do músico rock star japonês Miyavi para o papel do comandante do campo de concentração apelidado pelos prisioneiros de "Ave", que foi o carrasco de Louis. Ele não tem nada a ver e não convence. O cinema norte-americano tem excelentes atores que fariam um trabalho mais convincente.

Mas isso não impede que a produção seja boa e prenda o público até o final. Angelina acertou nas cenas de batalhas aéreas, disputa olímpica, nos campos de prisioneiros e, principalmente na fotografia. 

Como a própria Angelina Jolie contou em entrevista, trata-se de um filme de fé, amizade, esperança, persistência e determinação, características que marcaram a vida de Louis desde a sua infância. E que garantiram que ele conseguisse sobreviver a todo tipo de tortura e perseguição, principalmente nos campos de concentração japoneses durante a Segunda Guerra Mundial, nas mãos do terrível Ave.




Curiosidades

Para a produção do filme, Jolie contou com a assessoria do próprio Zamperini, que morava próximo a sua casa em Hollywood. Das inúmeras conversas e histórias incríveis, surgiu a proposta de fazer o filme sobre o herói das pistas e de guerra.

Parte das gravações foi feita na Austrália. Louis Zamperini faleceu no dia 2 de julho de 2014, aos 97 anos, mas ainda pode ver uma versão inacabada do filme, apresentada no hospital por Angelina.

O filme é baseado em "Unbroken: A World War II Story of Survival, Resilience, and Redemption", da escritora Laura Hillenbrand, eleito o Melhor Livro de Não ficção em 2010 pela revista Time, além de ter conquistado o prêmio de livro não ficção do ano do Los Angeles Times.

O verdadeiro Louis Zamperini, cuja história foi
contada no filme
Ficha técnica:
Direção: Angelina Jolie
Produção: Legendary Pictures
Distribuição: Universal Pictures
Duração: 2h17
Gênero: Guerra/ Biografia / Drama
País: EUA
Classificação: 14 anos
Nota: 3,8 (0 a 5)

Tags: Invencível; Angelina Jolie; Louis Zamperini; Segunda Guerra Mundial; japoneses; Jack O'Connell; Legendary Pictures; Universal Pictures; drama; biografia; guerra; Cinema no Escurinho