segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

"Grandes Olhos", ótimos atores para uma história mal explorada

Amy Adams interpreta a pintora Margaret Keane, que precisou brigar na justiça para ser reconhecida por sua obra (Fotos Paris Filmes/Divulgação)

Maristela Bretas


Um filme que reúne dois grandes atores como Christoph Waltz e Amy Adams poderia render mais em termos de atuação. Mas o que se vê em "Grandes Olhos" ("Big Eyes") é só a narração de uma grande fraude dos anos 50/60.

Waltz, que interpreta o pintor Walter Keane se esforça para tentar dar mais vida a seu personagem, mas passa uma imagem de canastrão, coisa que definitivamente ele não é. Já Adams, como Margaret Keane, passa o filme como mosca morta e depois de ser enganada em todos os sentidos vira o jogo mas continua sem sal. 


Faltou criatividade para contar a história, que por si só já garantiria um excelente roteiro. Poderia ter sido mais bem explorada, como aconteceu com "Invencível" e "Foxcatcher", também biografias lançadas recentemente no cinema.

No final dos anos 1950 e início dos 1960, Walter Keane, um pintor medíocre e inescrupuloso, de repente desponta no meio artístico com obras que exploram enigmáticas crianças de rua com grandes olhos tristes. Do nada ele passa a ter quadros em várias partes do mundo enquanto mantém oculta, quase trancada em casa a mulher Margaret (Adams).

Na verdade, ela é a grande artista, que aceita passivamente que os "louros" das obras - dinheiro e sucesso - fiquem para o marido controlador. Quando ela resolve cair na real, entrega para o mundo inteiro a fraude, e vai para nos tribunais para brigar por seus direitos.

O filme é uma narrativa com poucos momentos de impacto e sem explorar o lado psicológico dos personagens, principalmente da pintora. E quando ela resolve assumir seu trabalho, começa a correria para dar desfecho à história. 


A verdadeira Margaret Keane fez uma ponta no filme
"Grandes Olhos" é uma distração mediana e mal explorada nesta investida do diretor Tim Burton (que tem um passado de direção invejável em histórias fantásticas) no cinema sério. Funciona quase como uma homenagem dele à pintora Margaret Keane, de quem é fã e tem inúmeros quadros.

O filme pode ser conferido em versão legendada nas salas Cineart dos shoppings Paragem (14h30, 16h40, 18h50 e 21 horas) e Boulevard (16, 19 e 21h10), Belas Artes Cinema (16h30 e 21h30) e Cinemark Pátio Savassi (14h30, 17h15 e 20h15).





Ficha técnica:
Direção: Tim Burton
Distribuição: Paris Filmes 
Produção: Tim Burton Productions/The Weinstein Company
Duração: 1h46
Gênero: Biografia // Drama
País: EUA
Classificação: 12 anos
Nota: 2,5 (0 a 5)

Tags: Grandes Olhos; Christoph Waltz; Amy Adams; Tim Burton; Paris Filmes; biografia; drama; Cinema no Escurinho