sábado, 20 de junho de 2015

"Dragon Ball Z – O Renascimento de Freeza" dá nova vida à saga de Goku

Akira Toriyama trouxe de volta um dos mais impactantes vilões da série: o imperador galáctico Freeza (Fotos: Fox Film do Brasil/Divulgação)

Wallace Graciano


Quando saiu a notícia de que a Goku e seus amigos voltariam à telona em “Dragon Ball Z – A Batalha dos Deuses (2013)”, muitos fãs da série já apontavam a película como mais um “caça-níquel”. Felizmente, o resultado foi positivo e deu novas cores para a saga.

Obviamente, a Toei Animation não perderia a oportunidade de criar uma continuação. E ela veio. Para delírio dos fãs, Akira Toriyama resolveu trazer de volta um dos mais (para não falar “o mais”) impactantes vilões da série: o imperador galáctico Freeza.

“Dragon Ball Z – O Renascimento de Freeza", que está em cartaz nas principais salas de cinema do país, se passa como um prólogo de “A Batalha dos Deuses”, entre a morte de Majin Boo e o início da saga GT.

Após um breve período de paz, os remanescentes do exército galáctico comandado por Freeza tomam como rumo a Terra para ressuscitar seu antigo líder com as esferas do dragão. E conseguem com a ajuda do imperador Pilaf.

Após voltar à vida, o antagonista coloca um único objetivo em sua mente: vingar-se de Goku. Para tal, o vilão se isola em um intenso treinamento para conseguir expandir seus poderes e rivalizar com o Saiyajin. O que ele não contava é que Goku e Vejeta faziam o mesmo, sob o comando de Whis, que lhes aponta seus erros durante a luta.



Sem saber da localização de seu carrasco, Freeza chega à Terra e é informado que ele não se encontrava ali. Sádico como de costume, ele tenta destruir o planeta, mas é impedido por boa parte dos personagens da saga, incluindo o Mestre Kame (!), que entra na batalha à espera dos Saiyajins, os únicos capazes de rivalizar com o imperador galáctico.

Após finalmente retornar à Terra ao lado de Vegeta, Goku entra em combate com Freeza. Neste ponto, a película tem seu ápice com as transformações dos protagonistas em "Deus Super Saiyajin" e “Freeza Dourado”, respectivamente. É desnecessário falar que a batalha fica de tirar o fôlego.

“Dragon Ball Z – O Renascimento de Freeza” certamente trará sorrisos aos fãs, pois conseguiu trazer um novo roteiro sem deixar de lado as cenas de ação peculiares à série e a dublagem original brasileira (um pequeno cuidado que faz uma grande diferença).



O que o destoa "O Renascimento de Freeza" de “Batalha dos Deuses” e das outras 13 películas não é a nova transformação do herói da história. Mas, sim, o cuidado em como conduzir o principal vilão de toda a saga.

Ficha técnica:
Direção: Tadayoshi Yamamuro
Roteiro: Akira Toriyama
Duração: 1h33min
Animação: Akira Toriyama, Tadayoshi Yamamuro
Idioma: Dublado em Português
Distribuição: Fox Film do Brasil
País: Japão
Gêneros: Anime/Ação/Aventura
Vozes em Português: Wendel Bezerra, Alfredo Rollo, Carlos Campanile, Vagner Fagundes, Fabio Lucindo, Luiz Antônio Lobue
Nota: 4,5 (0 a 5)

Tags: "Dragon Ball Z – O Renascimento de Freeza"; Tadayoshi_Yamamuro; Akira_Toriyama; Goku; Toei_Animation; animação; ação; Cinema_no_Escurinho