segunda-feira, 19 de novembro de 2018

"Parque do Inferno" é terror com muito sangue para disfarçar produção ruim

Filme conta história de jovens que são atacados num parque temático por um louco psicopata mascarado (Fotos: Tripictures/Divulgação)


Maristela Bretas


Junte Freddy Krueger" ("A Noite do Pesadelo"), Jason Voohees ("Sexta-feira 13"), Michael Myers ("Halloween") e outros assassinos cruéis e sanguinários. Coloque tudo num filme com direito a muito sangue jorrando e corpos esfacelados. Poderia até dar um bom filme de terror, com bons pulos na cadeira. Mas este não é o caso de “Parque do Inferno” ("Hell Fest"), produção que já nasce morta graças a um roteiro ruim e uma direção duvidosa de Gregory Plotkin.

Se o espectador não está preparado para cenas fortes, melhor pensar duas vezes antes de assistir a este filme - o sangue jorra com vontade, cabeças rolam, corpos são mutilados e não faltam perfurações com os mais diversos objetos. O vilão, apesar de brutal, é fraco e previsível em várias situações, a cara dele está sempre coberta pela máscara e apresenta o comportamento tradicional do psicopata que sai à caça de suas vítimas. O filme chega a indicar levemente que ele está em busca de um tipo especial de garota que será sua escolhida, mas depois abandona essa linha e volta a focar apenas nos ataques violentos ao público para despistar os "defeitos visuais".

Com protagonistas desconhecidos, "Parque do Inferno" antecipa as ações do mascarado, tirando o impacto do susto e deixado apenas um mal-estar pela crueldade dos crimes. É tão previsível que em uma das cenas, a adolescente Natalie (Amy Forsyth) simplesmente descobre como funcionam as atrações e conta para os amigos. O mesmo acontece em muitos momentos de ataque do louco do parque, que realmente é uma porta do inferno para seus frequentadores, com labirintos do medo, atrações e figurantes  sinistros cercando os frequentadores e os atraindo para os chamados "brinquedos".

Na história, a universitária Natalie chega à cidade onde mora sua amiga Brooke (Reign Edwards) para passar o Halloween. As duas decidem aproveitar com um grupo de amigos a nova atração que chegou à cidade, o "Hell Fest", ou "Parque do Inferno"- um parque temático cheio com jogos e brincadeiras que excursiona pelo país, mas é marcado por uma morte brutal ocorrida anos atrás.

O que os adolescentes não sabem é que em breve vão se tornar o alvo de um visitante mascarado que usa o local para sua caçada diante de uma platéia que acredita que tudo faz parte do show. A história parece interessante e poderia ter se tornado uma ótima produção, apesar de usar ideiais e situações de filmes famosos do gênero. Mas ficou muito a desejar e nem mesmo a produção de Gale Anne Hurd, idealizadora da série de sucesso“The Walking Dead”, salva o longa.


Ficha técnica:
Direção: Gregory Plotkin
Produção: CBS Films  / Valhalla Motion Pictures
Distribuição: Paris Filmes
Duração: 1h29
Gênero: Terror
País: EUA
Classificação: 14 anos
Nota: 2,5 (0 a 5)

Tags: #ParquedoInferno, #HellFest, #terror, #ParisFilmes, #espaçoz, #cinemas.cineart, #CinemaNoEscurinho

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Muito flashback e confusão em "Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald"

Newt Scamander (Eddie Redmayne) terá de viajar novamente aos EUA atrás de um bruxo do mal, interpretado por Johnny Depp (Fotos: Jaap Buitendijk/Warner Bros. Pictures)

Wallace Graciano


Goste ou não da saga “Harry Potter”, é impossível negar a importância de J. K. Rowling na história da literatura (não somente a infanto-juvenil). Porém, o mesmo talento que a elevou ao panteão dos grandes nomes que nos contaram as mais doces fábulas não parece florescer em outro tipo de narrativa: a de roteirista cinematográfica. 

Em “Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald” ("Fantastic Beasts: The Crimes Of Grindelwald"), que estreia nesta quinta-feira (15) nos cinemas de todo planeta, a autora (que além de roteirista é uma das produtoras do filme) não consegue dar a mesma vivacidade dos livros às telonas, tal qual no precursor do spin-off.

Na sequência de “Animais Fantásticos”, que se passa 70 anos antes de Harry chegar a Hogwarts, Gellert Grindelwald (Johnny Depp) é transportado dos Estados Unidos, onde fora preso, até a Londres. Porém, o bruxo consegue escapar em uma batalha sufocante, digna dos grandes embates da saga canônica. Agora livre, ele vai em busca de Credence (Ezra Miller), o que norteará toda a história.

Paralelamente, Newt Scamander (Eddie Redmayne) está proibido de viajar ao exterior por causa do trabalho que deu ao mundo bruxo durante sua estada em Nova York. Sem ter muito o que fazer, cuida dos bichos em sua maleta e tenta escapar dos flertes do Ministério da Magia, que quer tê-lo como auror para recapturar Grindelwald. Quem consegue seduzi-lo é Alvo Dumbledore (Jude Law). 

Aproveitando que Scamander viaja escondido a Paris para tentar se reaproximar de sua paixão, Tina Goldstein (Katherine Waterston), o professor de Hogwarts lhe dá a missão de proteger Credence das mãos do bruxo das trevas, tudo isso em meio aos avanços do Ministério da Magia. É nesse ponto que a película chega ao seu ápice. 

Ao mesmo tempo em que traz o tom de naftalina aos saudosos amantes da saga, com a presença de personagens icônicos e do próprio castelo de Hogwarts, a trama oferece as batalhas, efeitos especiais e conspirações de “Harry Potter” que encantaram toda uma geração. Porém, ao contrário dos livros e filmes de outrora, este peca ao desenvolver os personagens justamente quando o clímax está estabelecido.

O roteiro tem grandes buracos e não consegue sequer encaixar os segredos agora revelados por J. K. Rowling do mundo bruxo antes de Harry. Assim como no precursor, “Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald” volta a ter cenários maravilhosos, batalhas intensas e personagens nostálgicos que se perdem em meio a um roteiro confuso. A magia da saga Harry Potter ficou mesmo por lá.


Ficha técnica:
Direção: David Yates
Produção: Warner Bros. Pictures
Distribuição: Warner Bros. Pictures
Duração: 2h14
Gêneros: Aventura / Fantasia
Países: Reino Unido / EUA
Classificação: 12 anos
Nota: 3 (0 a 5)

Tags: #AnimaisFantásticosOsCrimesdeGrindelwald, #HarryPotter, #JKRowling, #Fantasia, #Aventura, #EddieRedmayne, #JudeLaw, #Johnny Depp, #EzraMiller, #WarnerBrosPictures, #espaçoZ, #cinemas.cineart, #CinemaNoEscurinho