sábado, 24 de maio de 2014

"Os Homens são de Marte" é diversão descompromissada

Paulo Gustavo, Mônica Martelli e Daniele Valente (Fotos: Downtown Filmes/Divulgação)

Maristela Bretas

Confesso que poucas comédias brasileiras atraíram minha atenção nos últimos tempos. Mas Mônica Martelli e Paulo Gustavo conseguiram fazer um bom trabalho, adaptando para as telas de cinema um sucesso que ficou em cartaz no teatro por oito anos.

"Os Homens são de Marte... e é prá lá que eu vou" é uma comédia que faz rir (deveria ser assim em todas), com tiradas ácidas e engraçadas, bem ao estilo de Paulo Gustavo. 




Ele é Aníbal, sócio de Fernanda, papel vivido por Martelli (assim como nos palcos), numa empresa de cerimonial para casamentos. A empresa vai bem, obrigado. Mas Fernanda, uma quase quarentona, não aguenta mais a solidão da solteirice. E parte para o ataque, sem preconceito de cor, raça ou religião. 


Caiu na rede, virou o homem dos sonhos. E quem sofre são os santos, para quem ela apela sempre, não importa qual. Além de contar com a ajuda da amiga Nathalie (Daniele Valente).

E entre uma decepção e outra, ela coleciona relacionamentos dos mais diversos tipos, em busca de seu grande amor. 


Pela cama da bela mulher passam os personagens interpretados por Eduardo Moscovis, Humberto Martins, Marcos Palmeira e alguns outros menos famosos.


Uma boa distração que chega aos cinemas de BH nesta quinta-feira (29). A produção conta ainda com uma participação especial de Lulu Santos e Tulipa Ruiz, que gravaram a música tema "Apenas mais uma de amor", de Lulu.


Ficha técnica:
Direção: Marcos Baldini
Produção: Globo Filmes/Telecine/Paramount Pictures
Distribuição: Downtown Filmes
Duração: 1h22
Gênero: Comédia
País: Brasil
Classificação: 14 anos
Nota: 4 (0 a 5)

Tags: Os Homens são de Marte; é prá lá que eu vou; Mônica Martelli, Paulo Gustavo; Downtown, Cinema no Escurinho