quarta-feira, 9 de setembro de 2015

"O Agente da U.N.C.L.E." reconta série dos anos 60 com mais ação e humor

Em plena Guerra Fria, dois espiões de lados opostos - um da CIA e outro da KGB - precisam trabalhar juntos (Fotos: Warner Bros. Pictures/Divulgação) 

Maristela Bretas


Aqueles que estão abaixo da faixa dos 40 anos nem sequer ouviram falar da série "O Homem da U.N.C.L.E." ("The Man from U.N.C.L.E.") exibida no Brasil nos anos 60 e estrelada por Robert Vaughn (como Napoleon Solo) e David McCallum (Illya Kuryakin) e que pode ser conferida no Youtube. Mas foi esta série (ainda em preto e branco) que serviu de base para o roteiro adaptado por Guy Ritchie & Lionel Wigram para o longa-metragem "O Agente da U.N.C.L.E.", em cartaz nos cinemas.

Do original sobrou pouco, uma vez que os atuais atores - Henry Cavill (Napoleon Solo) e Armie Hammer (Illya Kuryakin) levam o enredo mais para o lado cômico, com boas tiradas, muita pancadaria, alguns momentos sérios (que passam rápido). O filme não chega a ser uma comédia, mas Cavill é o responsável pela parte irônica, enquanto Hammer, novamente faz o papel meio bobão (apesar de agente da KGB), bom de briga. 


O público feminino vai gostar dos dois bonitões dividindo a telona nesta versão descompromissada e de enredo diferente da história original. A dupla terá ainda ao seu lado e boa de briga a bela Alicia Vikander (“Anna Karenina”), enquanto que a vilã é a não menos bonita Elizabeth Debicki (“O Grande Gatsby”). Completam o elenco Jared Harris (“Sherlock Holmes: O Jogo de Sombras”) e Hugh Grant ("Um Lugar Chamado Notting Hill"), como Waverly, responsável pela união dos dois diferentes agentes. 

E põe diferente nisso, praticamente opostos - enquanto Solo desfila em ternos caros e carrões, esbanjando charme e elegância até quando enfrenta os bandidos, Kuryakin usa boina, gravata borboleta, tem um ar inocente, mas é bom de briga e com armas.

A nova produção conta como surgiu a U.N.C.L.E. (União de Nações para Comando da Lei e sua Execução) e a união dos dois espiões. O cenário do longa é o início da década de 1960, no auge da Guerra Fria, com história centrada no agente da CIA, Solo, e Kuryakin, da KGB. Forçados a deixarem de lado as antigas diferenças, os dois se unem em uma missão para parar uma misteriosa organização criminosa internacional que consegue construir armas nucleares para desestabilizar o poder.




A única pista da dupla na investigação é Gaby Teller (Alicia Vikander) filha de um cientista alemão desaparecido que criou a bomba atômica e que pode ser a chave para eles se infiltrarem na organização criminosa chefiada por Victoria Vinciguerra (Elizabeth Debicki). Agora os dois precisam correr contra o tempo para encontrar o cientista e evitar uma catástrofe mundial.

O game do filme

O filme ganhou também um jogo de realidade virtual de muita ação e aventura. O internauta pode escolher se quer ser Napoleon Solo ou Illya Kuryakin. O personagem deve cumprir missões para progredir na história. O jogo está disponível online apenas para Explorer e Firefox - http://www.manfromunclegame.com/?lang=pt-br - e também pode ser baixado para dispositivos móveis na Apple Store e Play Store, nos links abaixo:
IOS - http://j.mp/MissionBerlinIOS
Android - http://j.mp/MissionBerlinAndroid

Ficha técnica:
Direção e roteiro: Guy Ritchie
Produção: Davis Entertainment
Distribuição: Warner Bros. Pictures 
Duração: 1h57
Gêneros: Espionagem / Ação / Comédia
País: EUA
Classificação: 14 anos
Nota: 3,5 (0 a 5)

Tags: "O Agente da U.N.C.L.E."; Henry_Cavill; Armie_Hammer; Napoleon_Solo; Illia_Kuryakin; Alicia_Vikander; Elizabeth_Debicki; Hugh_Grant; Guy_Ritchie; espionagem; ação; comédia; Warner_Bros_Pictures: Cinema_no_Escurinho