terça-feira, 31 de maio de 2016

Jodie Foster expõe o jornalismo/espetáculo no drama "Jogo do Dinheiro"


George Clooney é refém de Jack O'Connell em suspense transmitido ao vivo (Fotos: Sony Pictures/Divulgação)

Maristela Bretas


Jodie Foster aposta em novo drama, explorando desta vez o universo do novo jornalismo/espetáculo que vem dominando as emissoras de TV do mundo inteiro. Os apresentadores estão mais para atores de um programa de domingo à tarde do que de um noticiário. A própria notícia mudou de cara, que o ator George Clooney soube mostrar bem no filme "Jogo do Dinheiro" ("Money Monster").

A notícia sobre a cotação do dólar e a situação das bolsas de valores pelo mundo fica em segundo plano e o destaque é o espetáculo de Lee Gates (papel de Clooney), o apresentador do programa de TV "Money Monster". Ele dá dicas sobre o mercado financeiro mesclando com performances típicas de um pop star. Faz do noticiário um verdadeiro circo ao vivo envolvendo os telespectadores de tal forma que os faz investir suas economias no que indicar. Muito parecido com o que vemos hoje em vários programas diários de nossas emissoras.

A diretora soube conduzir bem a trama, que ganha força com invasão do cenário pelo desconhecido Kyle Budwell (Jack O'Connell), um homem que perdeu tudo após acreditar nas dicas do apresentador. Armado ele obriga Gates a vestir um colete de explosivos e ordena que a transmissão continue para que o público veja como é enganado pelo contrário. A produtora Patty Fenn (Julia Roberts), apesar do risco que Gates está correndo, aposta na audiência da transmissão e deixar correr toda a negociação ao vivo. E vê os índices subirem vertiginosamente.

George Clooney está ótimo como o apresentador-showman, que faz de tudo para atrair a atenção do público. Ele usa uma linguagem apelativa e "tosca" para falar de investimentos, se vestindo de boxeador, tocando sinetas e colocando artes chamativas. Chega a ser cômico em muitos momentos, mesmo quando está sob a mira de uma arma e prestes a explodir.


Julia Roberts e Jack O'Connell completam bem o quadro de programa verdade (só que não!). Ela é a produtora que usa e abusa dos recursos da TV manipulando imagens, a disposição das câmeras pelo melhor ângulo e o que Gates deve falar. Ele é o inocente rapaz lesado pelo sistema financeiro que acaba se transformando em ídolo para o público e o motivo para se chegar ao que poderia se transformar num grande furo de reportagem com uma denúncia de fraude de um grande conglomerado financeiro.

"Jogo do Dinheiro" prende desde o início, é ágil e envolve o espectador, mas enfraquece um pouco no final. Mesmo assim, merece ser visto por sua composição que mescla momentos de drama, de comicidade, de manipulação da informação e do publico. E principalmente pela atuação do elenco principal. O filme está sendo exibido em oito salas de oito shoppings de BH e Contagem, em sessões dublada e legendada.



Ficha técnica:
Direção: Jodie Foster
Produção: Village Roadshow Productions / Smoke House Productions / TriStar Pictures 
Distribuição: Sony Pictures
Duração: 1h39
Gêneros: Suspense / Drama
País: EUA 
Classificação: 14 anos
Nota: 4 (0 a 5)

Tags: #jogododinheiro, #moneymonster, #GeorgeClooney, #Jack O'Connell, #JodieFoster, #suspense, #drama, #SonyPictures, #CinemanoEscurinho, #TudoBH