21 dezembro 2021

"Matrix Resurrections" constrange uma das melhores trilogias da história

Keanu Reeves retoma o papel de Neo, um homem vivendo isolado do mundo, como se não pertencesse a ele (Fotos: Warner Bros Entertainment)


 

Wallace Graciano


Em qualquer lista de melhores filmes da história, certamente você encontrará "Matrix". Afinal, aquela obra revolucionária, lançada em 1999, bagunçou a cabeça de qualquer telespectador, com ideias sobre manipulação e realidade, fazendo com que o diálogo entre presente e futuro distópico fosse bem mais próximo do que se imaginava. Não à toa, ainda que com mais de 20 anos de lançamento, ainda tem um roteiro que envelheceu bem e traz impacto.


Sua sequência, "Matrix Reloaded”, trouxe um roteiro mais confuso, mas com diálogos mais intensos e lutas melhores coreografadas, o que aumentou o sentimento catártico dos fãs, que viam uma boa sequência para um filme inovador. 

Já em “Matrix Revolutions”, a trilogia teve um aparente fim digno, fechando respostas que ficaram nos roteiros anteriores. Eis, então, que vinha a dúvida: por que lançar um novo após tão grande hiato?


“Matriz Resurrections”, que estreia nesta quarta-feira, 22 de dezembro, é mais um filme que segue a onda sem criatividade de Hollywood, que lota salas de cinema com remakes e reboots, apostando na nostalgia e memória afetiva como chamariz para uma indústria em dúvidas de como se reconstruir.

A obra, que fique claro, é totalmente distinta da trilogia original já pela paleta de cores. Os tons escuros e esverdeados são deixados de lado, aliados à fotografia mais viva. Isso tudo contando a uma narrativa conduzida com humor descontraído e até mesmo com uma certa pitada de autoironia, como em uma das lutas que Neo (Keanu Reeves) terá de encarar durante a trama.


Ele, por sinal, está na Matrix como um desenvolvedor de jogos famoso, que perde sua vida social para trazer a sequência do que deu status de ícone da cultura pop. Ao mesmo tempo, sente-se isolado do mundo, como se não pertencesse a ele.  

Eis que, para acalmar seus anseios, Neo volta a seguir um coelho branco, fazendo referência aos seus antecessores e revivendo a memória afetiva da trilogia. Bom, o desenrolar, vocês já devem imaginar, certo?!


Após várias idas e vindas da Matrix, o filme se desenrola até em um ritmo constante, sem cansar muito o espectador. Porém, é sem o impacto de outrora, ainda que com uma atuação intensa e destacada de Carrie Anne-Moss (no papel de Trinity/Tiffany), que rouba o protagonismo da obra. Em suma, “Resurrections” é apenas mais um fan-service que vem para acalmar os anseios de uma galera envelhecida.


Por isso, vá ao cinema sem muitas expectativas, apenas buscando se divertir. Ou então sairá como os membros do grupo Gangrena Gasosa, que têm como um de seus sucessos a música “Eu não entendi Matrix”. Não por não compreender o roteiro, que é mais raso que os de outrora, mas, sim, entender o porquê de terem feito essa sequência. Um alerta: tem cena pós-créditos.


Ficha técnica:
Direção: Lana Wachowski
Produção: Warner Bros. Pictures / Village Roadshow Pictures
Distribuição: Warner Bros. Pictures
Exibição: Somente nos cinemas
Duração: 2h28
Classificação: 12 anos
País: EUA
Gêneros: Ficção / Ação

9 comentários:

  1. Tão bom quando vemos algum critico corroborar com o nosso pensamento, depois de assistir várias vezes a trilogia, percebi o quão fantástica ele é... Por isso não entendo quando alguns críticos renomados dizem que os outros dois filmes são fracos e nem entendo o porquê de fazerem essa continuação, sendo que a trilogia já tinha sido fechada de forma perfeita!

    ResponderExcluir
  2. Teve cenas longas de luta e muita ação sem necessidade, Morpheus passou escanteado usando o terno do coringa. Neo passou o filme inteiro sem nem pegar em um estilingue e Trinity apareceu com barba o.O

    ResponderExcluir
  3. Verei de qualquer jeito.

    ResponderExcluir
  4. Porcaria acabaram um ótimo filme

    ResponderExcluir
  5. Boiolaram matrix isso sim

    ResponderExcluir
  6. Vários sites estão dizendo que o filme é ruim e vários outros dizendo que o filme é bom, então é melhor cada um assistir pra ter sua própria opinião!

    ResponderExcluir
  7. Sou muuuuito fã da trilogia. Claro que assisti o resurrections na estreia.... mas foi decepcionante. Obviamente eu gostei de retornar ao mundo de Matrix.... no início do fim pensei "nossa, isso está acontecendo mesmo? Tantos anos depois..." mas o filme é uma baita água de chuchu... sem graça de tudo. Não é aquele ruim como o final de Game of Thrones que contrariou tudo o que a saga construiu. Mas é... como eu disse... sem nenhum propósito... o filme vai passando.... o tempo acabando... as letrinhas subindo.... e você pensa... era isso?

    ResponderExcluir
  8. Também fiquei desiludido. Nada de inovador. O próprio argumento goza com a necessidade da Warner Bros ter pedido uma sequência. Não entendi porque só há referência em três reflexos da verdadeira idade (duas no pub, em momentos diferentes e no wc de casa do Neo). E, tem uma falha no reflexo que não devia ter no wc da empresa, logo após surgir o Morpheus 2.0. Também não percebi o "EU" inscrito na placa da nave Mnenosyne.

    ResponderExcluir
  9. Adorei,foi a resposta q eu precisava,Neo e Trinity estão cansados de salvar a humanidade, finalmente acabou a guerra.Fim.

    ResponderExcluir