domingo, 23 de agosto de 2015

Glória Pires desperdiça talento na comédia "Linda de Morrer"


Filme reúne Glória Pires e elenco conhecido que deve virar mais um especial de fim de ano (Fotos: Páprica Fotografia/Divulgação)

Maristela Bretas


Depois de Cléo Pires, agora é a vez de Antonia Morais, segunda filha da atriz, se lançar no cinema. Se a primeira é a cara do pai, Fábio Jr. (do primeiro casamento de Glória Pires), Antonia, da união com o compositor Orlando Morais, é a cópia da mãe. Mas ambas ainda terão que enfrentar muitas horas de aprendizado para chegar ao talento de Glória.

E Antonia dá seu pontapé inicial justamente ao lado da mãe, no que deveria ser uma comédia. Só que não. "Linda de Morrer" provoca poucos risos e nem mesmo o talento de Glória Pires (e ela tem de sobra) consegue salvar. Um desperdício. A história é boba, sem graça e, por sorte, curta. Passa longe de outra produção cômica da atriz bem melhor - "Se Eu Fosse Você" (2006), em que ela contracena com Tony Ramos.

A impressão que passa é de que o filme foi feito para alavancar a carreira da jovem filha da atriz. Por sinal, elas tiraram o ano de 2015 para aparecerem com os pais - Cléo fez as pazes com Fábio Jr. em "Qualquer Gato Vira Lata 2" e agora Antonia interpreta a filha que precisa fazer as pazes com a mãe depois de morta.

A diretora do filme é Cris D´Amato, a mesma de "S.O.S.- Mulheres ao Mar", uma comédia muito melhor, e "Confissões de Adolescente" outra ótima produção. Uma pena ter apostado em um enredo tão fraco. Nem mesmo o fato de ela ter trabalhado em outras duas produções com Glória Pires - "Se Eu Fosse Você 1 e 2" ajudou a salvar o filme. Os efeitos especiais também não são dos mais sofisticados.

"Linda de Morrer" conta a história de Paula Lins, uma médica prepotente (Gloria Pires) que deixa a relação com a filha Alice (Antonia Morais) em segundo plano. Dona de uma clínica famosa tem um sócio ambicioso, Dr. Francis (Angelo Paes Leme). Ela desenvolve uma pílula que acaba com a celulite - o Milagra -, que leva as mulheres à loucura, literalmente. Porém, Paula toma o remédio e morre de um inesperado efeito colateral.

Agora, seu espírito preso à Terra precisa denunciar o próprio remédio e salvar as futuras vítimas de seu sócio sem escrúpulo. Para isso ela conta apenas com duas pessoas: o desajeitado psicólogo Daniel (Emilio Dantas), que acaba de herdar o dom de mediunidade da avó Mãe Lina (Susana Vieira), e a filha Alice, com quem tinha uma relação de brigas constantes.

No elenco estão também outros nomes conhecidos como Vivianne Pasmanter, Stella Miranda e Pablo Sanábio. Mas quem carrega o filme do início ao fim é mesmo Glória Pires. Emilio Dantas tem boa interpretação e já provou isso em "Cazuza" Além de Susana Vieira, nos poucos momentos em que aparece.




O que se pode esperar é que a comédia deverá virar especial até o final deste ano nas telas da TV. Com marketing forte de divulgação, o filme está sendo exibido em 23 salas de 19 shoppings de BH, Contagem em Betim.

Ficha técnica:
Direção: Cris D'Amato
Produção: Migdal Filmes, Fox International e Globo Filmes
Distribuição: 20th Century Fox
Duração: 1h15
Gênero: Comédia
País: Brasil
Classificação: 12 anos
Nota: 2,5 (0 a 5)

Tags: "Linda de Morrer; Glória_Pires; Susana_Vieira; Emílio_Dantas; Antonia_Morais; Angelo_Paes_Leme; Cris_D'Amato; comédia; Fox Filmes; Cinema_no_Escurinho