domingo, 12 de abril de 2020

"La Noche que Mi Madre Mató a Mi Padre" é garantia de humor irônico e mordaz dos filmes espanhóis

O filme praticamente se desenvolve durante um jantar na casa de Isabel, interpretada por Belén Rueda (Fotos: Netflix/Divulgação)

Mirtes Helena Scalioni


Pelo menos duas coisas ficam claras, desde o início do filme. Primeiro, o espectador entende que ex-maridos e ex-esposas se dão bem, a ponto de, em comum acordo, mandar a filharada toda para um passeio de férias, no melhor estilo de "os meus, os seus, os nossos". Em segundo lugar, percebe-se que Isabel Paris, interpretada magistralmente por Belén Rueda, é uma atriz em processo de maturidade, para quem os papéis já não são tão frequentes. 

Talvez tenha partido daí, desses dois detalhes, o roteiro de "La Noche que Mi Madre Mató a Mi Padre" ("A Noite em que Minha Mãe Matou Meu Pai"), deliciosa produção espanhola em cartaz no Netflix. Dirigido por Inés Paris, o filme praticamente se desenvolve durante um jantar na casa de Isabel, quando ela e o marido Angel (Eduard Fernández) recebem o ator argentino Diego Peretti (que faz o papel dele próprio), com o claro objetivo de convencê-lo a investir num projeto cinematográfico.

Acontece que Isabel tem outro projeto em mente. Casada com Angel, ela quer muito provar ao marido que tem todas as  qualidades e atributos para estrelar o filme que ele está prestes a dirigir. E, para isso, não vai medir esforços para se mostrar uma grande atriz. O jantar começa a mudar de tom quando o ex-marido dela, interpretado por Fale Martinez, chega de surpresa trazendo sua jovem namorada totalmente sem noção. 



Na ficha de "La Noche que Mi Madre Mató a Mi Padre" está escrito que se trata de um besteirol. Mas pode ir além disso. O filme é uma comédia sim, com todos os ingredientes que o gênero exige, mas o que ressalta é o sarcasmo, a ironia com que a história é contada. Essa particularidade, aliada ao excelente desempenho dos atores - todos eles - são a garantia de um entretenimento rico, com viradas, surpresas e uma boa pitada de mordacidade. A pergunta é: do que é capaz uma atriz para conseguir um papel? Ou ainda: do que é capaz uma mulher para alcançar seu objetivo?

Por mais que o filme escorregue para o pastelão mais para o final da história, o inusitado encobre e valoriza o desfecho. Para quem aprecia a filmografia espanhola, com suas cores, exageros e dramas, "La Noche que Mi Madre Mató a Mi Padre", produção de 2016, certamente, não vai decepcionar. 


Ficha Técnica
Direção: Inés Paris
Duração: 1h33
Classificação: 12 anos
Gênero: Comédia
País: Espanha
Disponível: Netflix

Tags: #LaNocheQueMiMadreMatoAMiPadre, #cinemaespanhol, #comédia, #besteirol, #InésParis, #BelénRueda, #DiegoPeretti, #Netflix, @cinemaescurinho, @cinemanoescurinho

Um comentário: