quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

"O Menino que Queria Ser Rei" - produção britânica recria rei Arthur nos dias de hoje

Alex é um adolescente tímido que encontra a famosa espada Excalibur, que pertenceu ao rei Arthur (Fotos: 20th Century Fox/Divulgação)

Maristela Bretas


Fantasia, aventura e humor são os principais pontos explorados na produção britânica "O Menino que Queria Ser Rei" ("The Kid Who Would Be King"), que estreia nesta quinta-feira nos cinemas. O filme é indicado para quem procura uma distração para os filhos na faixa de 8 a 12 anos que gostam de histórias de reis, bruxas, magos, cavaleiros e heróis de armadura.

O filme é uma boa distração, trazendo para os dias de hoje os conflitos do período em que o rei Arthur governava a Inglaterra e lutava contra sua maior inimiga, a meia-irmã Morgana. Na nova história, os personagens lutam contra o mal da fantasia e seus próprios temores. Rebecca Ferguson (sempre com boa interpretação, como Morgana) e Patrick Stewart (mago Merlin velho) são os chamarizes do filme, mas um desperdício de talento.


Os demais atores são jovens e estreantes, exceto Louis Serkis, que está em seu segundo filme e interpreta Alex, o novo rei Arthur. Dois deles se destacam por entregarem os momentos divertidos do filme: Angus Imrie, como Merlin jovem, que vai divertir as crianças com seus truques de mágica e trapalhadas, e Dean Chaumoo, como Bedders, o amigo medroso mas fiel de Alex.

Em "O Menino que Queria Ser Rei", Alex é um adolescente britânico estudioso mas muito tímido, de poucos amigos que, como muitos de sua idade, sofrem com a perseguição diária e o bullying dos alunos mais velhos da escola. Seu único e fiel amigo é Bedders, que enfrenta os mesmos problemas que ele, mas nenhum dos dois tem coragem de entregar os autores das agressões e constrangimentos - a dupla Lance (Tom Taylor) e Kaye (Rhianna Dorris).

Certo dia, ele encontra uma misteriosa espada cravada numa pedra e descobre tratar-se de Excalibur, que pertenceu ao rei Arthur. Acreditando no poder da arma, Alex e Bedders ganham mais confiança para enfrentar seus inimigos e convencê-los a se tornarem seus aliados na luta contra Morgana, a meia-irmã de Arthur, presa por ele, mas se liberta da prisão após a espada ter sido tirada da pedra. Aos poucos, os jovens vão vendo seus conflitos e medos se misturarem com os trazidos pela fantasia e Alex terá de assumir as responsabilidades que a espada traz com ela.


A aventura mescla ingredientes do passado e do presente numa aventura que poderia ser melhor e menos confusa. Todas as vezes que Morgana aparece dá a impressão que se trata de outro filme e somente quando começa o conflito com Alex e sua turma é que a história toma pé. Apesar de Morgana ser a vilã ela aparece pouco, mas os efeitos gráficos das batalhas entre seus soldados de ossos e os heróis são muito bons e conseguem dar um ótimo ritmo à trama. Valores como amizade, confiança e união são bem reforçados pelos personagens. Vale como uma diversão de sessão da tarde.


Ficha técnica:
Direção e roteiro: Joe Cornish
Produção: 20th Century Fox / Working Title Films / Big Talk Productions
Distribuição: Fox Film
Duração: 2 horas
Gêneros: Fantasia / Aventura / Família
País: Reino Unido
Classificação: A partir de 6 anos
Nota: 3 (0 a 5)

Tags: #OMeninoQueQueriaSerRei, #20thCenturyFox, @Fox, #RebeccaFerguson, #PatrickStewart, #ReiArthur, #fantasia, #aventura, #EspacoZ, @cineart_cinemas, @cinemanoescurinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário