domingo, 7 de março de 2021

Omar Sy dá show de interpretação, simpatia e vigarice em "Lupin"

 Após 25 anos, o golpista Assane Diop vai usar sua experiência para se vingar daqueles que levaram seu pai à morte (Fotos: Emmanuel Guimier/Netflix)

Maristela Bretas


Uma série envolvente, recheada de mistérios e golpes aplicados com muita sutileza, dignos de um excelente vigarista que conhece bem suas vítimas e inimigos. Essa é história de "Lupin", cujo papel principal é interpretado com excelência por Omar Sy, o mesmo de "Intocáveis" (2012), e direção de George Kay. A primeira temporada, com apenas cinco capítulos, foi de roer as unhas.


A Netflix, que exibe a produção, já confirmou para o primeiro semestre deste ano a estreia da segunda parte desta série francesa, que vem se mantendo entre as mais vistas da plataforma. E não é sem razão. Na trama, baseada nos romances policiais de Maurice Leblanc, Assane Diop (Omar Sy) é um homem que tenta provar que o pai, Babakar Diop (Fargass Assandé), que se matou na prisão, era inocente e não roubou uma joia valiosa da família Pellegrini, para quem trabalhava.


Durante 25 anos, Assane estuda cada passo e golpe do famoso e gentil vigarista Arsène Lupin, conhecido como o "ladrão de casaca" da literatura francesa, que se tornou um gênio do crime na Paris do início do século 20 . E seus planos começam a ser colocados em prática exatamente com um grande furto em um dos lugares mais seguros do mundo - o Museu do Louvre.


Belos cenários tendo como fundo a cidade de Paris e mais no final o litoral francês. As cenas de perseguição são comuns, típicas de um filme policial, algumas inclusive sobre telhados, no estilo "Missão Impossível". Omar Sy conquista o público com seu sorriso e simpatia desde o primeiro episódio. 

Mesmo deixando bem claro que só quer vingança contra aqueles que destruíram sua vida e a de seu pai e agora retornam com novas ameaças a todos que estão ligados a ele, especialmente sua família.


A bela fotografia vem acompanhada de trilha sonora de músicas francesas muito bem escolhidas utilizadas - até mesmo quando assoviada por um preso num momento de tensão. O roteiro mesclando passado e presente com harmonia, explicam bem a trama e cada movimento que Assane irá tomar, sempre tendo à mão ou em mente alguma história dos livros sobre Lupin para guiá-lo. Somente o detetive Youssef Guedira (Soufiane Guerrab) é capaz de fazer a ligação entre o golpista e o personagem literário, mas não é levado a sério pelos colegas.


Para quem ainda não viu, "Lupin" é imperdível. Só a atuação de Omar Sy já vale a primeira temporada. A escolha do ator foi perfeita e merecida. O restante do elenco também está fazendo bem a sua parte. Destaque para Hervé Pierre, que interpreta o inescrupuloso milionário Hubert Pellegrini, responsável pela morte do pai de Assane. 

Ludivine Sagnier, que faz o papel de Claire, ex-mulher de Assane, também começa a aparecer mais do quarto episódio em diante e deve receber mais espaço na sequência, devido aos acontecimentos que fecham a primeira temporada.



"Lupin" é uma série que faz você pular para o próximo episódio, antes mesmo de os créditos finais aparecerem. E a segunda parte promete ser tão empolgante quanto a primeira, e deve ser novamente motivo para ficar grudada na tela da TV pela madrugada à espera do desfecho. Enquanto não chega, confira o teaser oficial abaixo lançado pela Netflix.


Ficha técnica:
Direção: George Kay
Exibição: Netflix
Duração: média de 45 minutos (1ª parte - 5 episódios)
Classificação: 16 anos
País: França
Gêneros: Policial / Drama / Suspense
Nota: 4,8 (de 0 a 5)

Nenhum comentário:

Postar um comentário